domingo, 11 de junho de 2017

Contagem quer ampliar metrô

28/03/17 - O Tempo

Prefeito busca recursos para expandir Linha 1 e construir três novas estações em bairros da cidade

metrô
Ampliação do metrô em Contagem prevê um investimento total de R$ 233 milhões

JOÃO RENATO FARIA

Diante da estagnação da expansão da Linha 1 do metrô de Belo Horizonte, o prefeito de Contagem, na região metropolitana, Alex de Freitas (PSDB), afirmou que irá pleitear, junto ao governo federal, recursos para ampliar o serviço de transporte em seu município. Para isso, ele já conversou com os três senadores do Estado e está em contato com deputados federais da bancada mineira para buscar meios de sensibilizar o governo Temer para a necessidade da expansão do serviço.

“Temos que parar de discutir a estadualização do metrô. Tem dez anos que estamos nesse debate, e, nesse ínterim, não houve nenhuma expansão. Precisamos entender que o problema é de mobilidade e dar uma alternativa de massa, segura e confiável para a população da Grande Belo Horizonte”, afirmou Freitas.

O projeto de expansão tem duas partes. A primeira prevê levar o metrô da Estação Eldorado até o bairro Novo Eldorado, onde ele seria integrado a uma rodoviária e a um terminal de ônibus urbanos. Esse conjunto é chamado de Complexo Intermodal de Transporte de Contagem, com capacidade para atender cerca de 150 mil pessoas por dia. “Essa estrutura é uma discussão antiga, que poderia atender uma demanda do Vetor Oeste de Belo Horizonte e tirar parte do tráfego do centro da capital”, avaliou o prefeito.

O valor total deste investimento é de cerca de R$ 233 milhões, sendo R$ 157,6 milhões para a expansão do metrô até o Novo Eldorado, onde já existe um pátio para a manobra dos trens, e R$ 75,3 milhões para as outras estruturas.

Crescimento. O objetivo do prefeito, porém, é mais ousado e prevê, além do complexo intermodal e da estação do Novo Eldorado, outros dois novos terminais de metrô, nos bairros Parque São João e Bernardo Monteiro. O custo estimado é de cerca de R$ 700 milhões, aproximadamente R$ 100 milhões por quilômetro. Segundo o prefeito, o município de Contagem está disposto a arcar com um terço do valor.

“Não temos esse dinheiro em caixa, mas temos a capacidade de assumir esse financiamento. A contrapartida da licitação do transporte coletivo da cidade, por exemplo, poderia ser aplicada integralmente na expansão do metrô”, afirmou.

Para dar mais um passo rumo à concretização da obra, Alex de Freitas apresentará o projeto na reunião desta terça-feira (28) da Associação dos Municípios da Região Metropolitana de Belo Horizonte (Granbel). “Precisamos dar uma resposta mais rápida para as milhares de pessoas que se espremem em um ônibus ou no metrô que nós temos hoje”, finalizou.

CBTU. A Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU), que administra o metrô de BH, foi procurada na tarde dessa segunda-feira (27) para comentar o projeto, mas não retornou até o fechamento desta edição.

Projeto. Segundo a Secretaria de Estado de Transportes e Obras Públicas (Setop), o projeto da expansão até o Novo Eldorado já foi concluído e aprovado pela Metrominas, empresa criada para a futura gestão do metrô e que tem as prefeituras de Contagem e Belo Horizonte e o governo estadual como sócios.

Expansão. Já as duas novas estações de Contagem, nos bairros Parque São João e Bernardo Monteiro, seriam parte da Linha 4, que sairia do Novo Eldorado e iria até o centro de Betim, na região metropolitana.

Trecho. Segundo a Setop, a Linha 4 teria 22 km, sendo que 17 km seriam criados no sistema de Veículos Leves sobre Trilhos (VLT).

Gestão. Apesar da criação da Metrominas, a gestão do metrô de BH continua a cargo da estatal CBTU. A transferência da administração do serviço continua em discussão.

Novo Eldorado. O projeto prevê a revitalização urbana e a readequação do sistema viário, com reforma em uma alça de acesso e implantação de um viaduto para ligar a avenida Helena de Vasconcelos Costa à Via Expressa.

VIA EXPRESSA

Promessa é recapear corredor até maio

Os 15 km da Via Expressa que estão em Contagem, na região metropolitana, entre Belo Horizonte e Betim, deverão estar totalmente recapeados até o início de maio. A previsão é do prefeito de Contagem, Alex de Freitas, que assinará nesta terça-feira (28) a ordem de serviço autorizando o início da reforma.

“A expectativa é que, no máximo até segunda-feira, a obra já comece. É uma intervenção rápida e simples, e queremos concluí-la em um mês e meio”, afirmou. Segundo ele, a intervenção será feita durante a noite, para que não atrapalhe o trânsito na via. “Vamos recompor todo o pavimento. Onde a base estiver ruim, será refeita, e vamos fazer a raspagem do asfalto velho para substituição por um novo, para deixar a pista mais segura e confortável”, detalhou.

O custo total é de R$ 16,5 milhões, sendo R$ 15 milhões de recursos do Estado e R$ 1,5 milhão da prefeitura.

Radares. Alex de Freitas também afirmou que os 25 radares que estão atualmente desativados em ruas do município deverão voltar a funcionar na primeira semana de abril. “Eles foram todos substituídos e nesse momento estão passando por testes, sendo aferidos, para que sejam autorizados a multar”, contou.

quinta-feira, 13 de abril de 2017

Articulação busca acelerar expansão do metrô em Contagem

13/04/2017 - Hoje em Dia

As negociações para ampliação da linha do metrô em Contagem, com a possibilidade de construção de três novas estações, chegaram a Brasília. A última movimentação foi uma reunião entre o deputado estadual João Vítor Xavier (PSDB) e o ministro das Cidades, Bruno Araújo, a partir de articulações do prefeito de Contagem, Alex de Freitas (PSDB). 

De acordo com o deputado, o ministro ficou interessado na proposta e se prontificou a conhecer a cidade nos próximos meses e também detalhes do projeto. 

Um diferencial seria a proposta do município de arcar com parte dos investimentos. A prefeitura se dispõe a custear um terço dos cerca de R$ 700 milhões necessários para a extensão da linha em sete quilômetros, com três novas estações entre o Eldorado e Bernardo Monteiro. 

“Conversamos sobre a totalidade do projeto e não somente sobre a abertura de uma nova estação. É um projeto factível. Não é algo comum um prefeito se dispor a investir nesse tipo de iniciativa”, afirma. 

Ainda de acordo com João Vítor, será preciso que a União autorize o investimento da prefeitura no projeto. “E claro, que o governo federal também se comprometa a aportar recursos”, completa. 

Num primeiro momento, o município se propõe a construir pelo menos dois quilômetros de linha, ao custo de aproximadamente R$ 230 milhões, com a abertura de estação no Novo Eldorado.